quinta-feira, 5 de abril de 2012

Supportive Opposite S/O

Supportive Opposite S/OOi gente, hoje vou inaugurar um novo espaço aqui no blog, um espaço dedicado às Supportive Opposite - S/O (Pessoas do sexo oposto que apoia o crossdressing), nesse caso mulheres que apoiam homens que se traveste de mulher. O primeiro texto é de minha amiga pessoal E.S.C. relatando o universo crossdresser com a visão dela, vejam:

Ser S/O

Conversando outro dia com a Anna sobre seu blog, falei que eu poderia escrever sobre a experiência de ser uma S/O. Ela aceitou de pronto e aqui estou.
Muitas cd’s me conhecem pessoalmente e diversas pela internet o que de forma alguma torna o contato menos verdadeiro.

Eu me descobri S/O quando me comecei a me sentir um pouco crossdresser apesar de mulher e muito feminina. Senti bem como é isso, estar num corpo que não é perfeitamente "encaixado". Há anos vivia essa angústia dentro de mim sem entender o que era isso e o que pensar, sabia que eu tinha um desejo enorme de ter um pênis e adorava (e adoro) fazer xixi de pé. Adoro essa duplicidade de poder ser feminina, isso me atraiu nos Crossdressers, sair na rua me sentindo assim sendo outra por dentro sem que ninguém saiba, em paz comigo mesma mesmo em um outro corpo. Saio como uma mulher me sentindo um homem e me divertindo muito com isso. Poucas pessoas que convivem comigo sabem disso, algumas entendem e outras nem tanto e nem imaginam como é isso. Minha identificação com as cd’s foi imediata.

Tudo começou com a inversão, encontrei um parceiro há dois anos atrás que me mostrou este mundo, ele era completamente feminino na cama. Aquilo me atraiu imediatamente e vivemos por quatro meses um universo de descobertas. O fato de ele ser assim nunca me assustou nem me causou estranheza, ele não se monta, mas é uma linda garota na cama.

Como a vida é, num dia angustiante ele me apresentou um outro moço que depois de um encontro me convidou para ir a sua casa. Uma vez lá, depois de uma hora ele revelou que se vestia de mulher, mas que nunca tinha mostrado isso para ninguém, pedi então a ele que se montasse e mais uma vez a identificação foi imediata. Sai de lá alucinada para saber e buscar tudo sobre o assunto. Descobri assim muito mais sobre isso, eu já tinha ouvido falar, mas nunca tinha me envolvido tanto. Assim vivemos meses de descobertas, para mim e para ele, eu o montava, maquiava, colocava os cabelos, cuidava muito dele. Conversávamos muito porque a grande dúvida dele era a confusão de ser gay ou não, por se vestir, por estar gostando de inversão. Foram enfim outros quatro meses de diversão e de um aprendizado muito grande.

E então nunca mais parei, pude também ser o que eu gostava, lembro de uma de nossas noites onde casamos, ele linda de branco e eu com as roupas dele. Lembro muito bem de um outro momento nosso enquanto o maquiava, seu olhar de agradecimento por entendê-lo e amá-lo ali naquele momento como ele era. Aquele olhar para mim valeu a vida, sou eternamente agradecida à vida por me tê-lo dado. Ele se foi e está por ai perdido nesse mundão de Deus, mas não se foi nem do meu coração e nem do meu corpo onde o tenho tatuado, perto do coração.

E então o que é ser S/O?
Para mim é identificação, primeiramente de nós mesmas e depois com o outro. Como ser uma S/O se não há identificação com o outro? Sem isso não há entendimento. Pode haver, não sei como são as outras S/O’s, mas eu sou assim.
Ser S/O é gostar, curtir, estar ao lado de uma pessoa, que vai gostar do que você gosta, de curtir suas roupas, de ser maquiada e penteada por você, ser S/O é ouvir, ouvir as dúvidas, as alegrias, as tristezas e as descobertas. É compartilhar os segredos mais íntimos de uma pessoa, é estar ao lado dela, admirá-la, orientá-la em como se vestir, na maquiagem para que esta não fique pesada, para os cabelos ficarem bem penteados, ensiná-las a serem o mais feminina possível, terem a classe e a sutileza de uma mulher, é ensiná-las a serem charmosas e finas. Nossos corpo e mente não temos como mudar, e sim aceitar o que somos e como fomos "montados" pela natureza. S/O é entender o Crossdresser profundamente.
A vida me deu esse caminho e eu nunca mais conseguirei pensar na minha existência sem as cd’s, sem ser eu mesma. Ser S/O não é só estar ao lado da pessoa, é entender seu corpo e mente, é amá-la profundamente sem exigir nada, porque nem é preciso, elas serão eternamente gratas a sua S/O por estar ao lado delas.

By E.S.C - Dedico a todos os Crossdressers que estão por ai.

5 comentários:

Excelente colocação.Perfeito entendimento.Qualquer uma de nos crossdresser adoraria ter voce por perto. Solicito adicionar me seu msn: nadine.cd@hotmail.com
Beijos

http://36crossdresser.blogspot.com.br/

Me manda um email por favor, preciso muito falar com vc. raquelju@yahoo.com.br. Bjo

Acho interessante a vivencia e experiência de quem escreve! Nem sempre esse é um universo fácil de entender (ou mais complicado ter explicar ao publico leigo, quando tenho minha paciência quase didática, devia ter feito pedagogia)!

Postar um comentário

Compartilhar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites